Fúria Vermelha

Minha última leitura de Janeiro de 2017 foi o primeiro volume da trilogia Red Rising.

O título é Fúria Vermelha, e com o andamento da leitura vamos entendendo a intenção do autor com isso. Foram necessárias poucas páginas para que eu mergulhasse no universo criado por Pierce Brown.

Estamos em Marte, o Planeta Vermelho, e o ser humano aparentemente já descobriu como viajar no espaço e colonizar outros planetas. Temos também uma sociedade totalmente dividida em castas, que aqui são nomeadas por cores. Os Vermelhos, como é de se imaginar, estão na base dessa pirâmide, sendo o nível mais baixo da sociedade. Cada cor tem sua função específica, os Ouros são os governantes, enquanto os Violetas são os artistas, e os Vermelhos são os mineradores, e por aí vai.

“Nos lugares densos de homens, a humanidade se desintegra com mais facilidade.” Pág 101

Como é de se imaginar, os Vermelhos são submetidos a um tipo de trabalho praticamente escravo através de um bonito discurso dos Ouros sobre a importância dessas formigas operárias para toda a sociedade: é através da mineração de hélio que será possível tornar a superfície de Marte habitável a toda a raça humana. Entretanto, não é bem assim que as coisas funcionam, e foi necessário o plantio de uma sementinha de revolução por alguém muito querido de Darrow.

O que acontece a seguir me pegou totalmente de surpresa, eu jamais esperaria que iria acontecer algo do tipo, e os eventos só serviram para aumentar ainda mais minha curiosidade e me fazer ler como se não houvesse amanhã.

“E estou começando a entender por que os Ouros governam. Eles conseguem fazer o que eu não consigo.” Pág 183

Embarquei nessa aventura perigosíssima com Darrow, e página após página me surpreendi com a capacidade do autor de criar um universo tão complexo e explicá-lo de forma tão simples, respondendo à todas as minhas perguntas sem subestimar minha capacidade como leitora e convidada nesse universo.

Essa jornada por Marte, essa guerra por vingança e por poder… É tudo descrito de uma maneira muito crua, o que dá ao livro um teor mais adulto, assim como as muitas cenas de violência explícita e aos muitos palavrões usados por Darrow e pelos seus conterrâneos Vermelhos.

Fúria Vermelha é diferente de tudo o que já li, e foi um livro que fez eu me apaixonar por todos os detalhes de seu universo.

PS: Gostei tanto que rodei a internet até achar uma playlist montada pelo autor com as músicas usadas no processo de escrita dessa maravilha, fica aqui o link para quem tiver curiosidade.

Anúncios

Deixe aqui um comentário e faça uma pessoa feliz! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s